Sem qualquer dúvida, a história do “Jardim de Infância Waldorf Internacional”, conflui com uma parte do percurso de vida da jardineira de infância Eva Herre, na aldeia de Barão de S. João, perto de Lagos (Algarve).

Vamos contar como tudo começou.

Motivação....Impulso…
Durante os quatro anos que antecederam da sua vinda para o Algarve, Eva trabalhava no Porto, como diretora do Jardim de Infância do Colégio Alemão. Estava numa fase da sua vida em que procurava encontrar o seu caminho verdadeiro, um outro olhar para a criança, para o ser Humano, para o mundo. Onde a sua realização pessoal e profissional fizesse sentido e acreditava que era possível encontrar isso em Portugal!

Era enorme a vontade de juntar forças e criar um espaço adequado para os mais pequenos, no qual poderiam ser verdadeiramente crianças, com as condições necessárias para um desenvolvimento saudável, em harmonia com a Natureza.
Percebeu que na pedagogia Waldorf e na Antroposofia poderia encontrar esse caminho...

Foi assim que em 1991, visitou na aldeia de Barão de S. João, uma quinta biológica, na Vinha Velha, onde estava a decorrer a inauguração de uma escola primária Waldorf (Escola Primavera do Algarve). Lá encontrou um grupo de pais entusiasmados, a maioria alemães, que desejavam também ter um Jardim de Infância para os seus filhos mais pequenos.

Esses pais, tal como Eva, procuravam uma educação que despertasse a criatividade, o respeito e a autonomia de cada criança. Acreditavam que brincar livre nesta idade era muito importante.

A sua “visão” era de um Jardim de Infância como projeto social, onde em conjunto com os pais e professores, existisse partilha de ideias, iniciativas, que se distribuíssem tarefas e responsabilidades, na comunicação, no empenho e na organização.
Em resumo, criar um espaço saudável para as crianças.
E foi assim que a sua “visão” tomou forma e começou…